Aniversário de Casamento | Wedding anniversary

PT

A vida tem sido tão corrida ultimamente, as horas e os dias passam que a gente nem vê. Um exemplo? Quando fiz este blog, tinha a ideia de manter postando uma vez por semana, com assuntos legais sobre o dia a dia na Finlândia, até deu certo no começo, mas no fim, estou aqui postando uma vez ou outra, porque, literalmente, me faltam 5 minutos pra sentar e escrever algo legal… e olha que ideias de posts não faltam… falta mesmo é tempo.

E por falar em tempo, hoje é um daqueles dias que a gente volta no tempo, vem nostalgia, agradecimento e muito carinho no coração. O texto de hoje não é sobre a vida na Finlândia, ou é… é mais sobre a vida com um finlandês. Quero dividir com vocês um pouco da minha vida pessoal, permitir que vocês tenham uma ideiazinha do que é viver com os meus finlandeses favoritos.

IMG_0809Há quatro anos atrás eu estava aqui no Brasil (ah! esqueci de comentar, estamos de férias no Brasil!) celebrando o meu casamento religioso. Naquele dia tinha tanto sentimento e tantos medos em mim, que nem sei como descrever. É aquela coisa… o amor pelo futuro marido, a realização de um sonho, o medo da mudança, da adaptação, a felicidade de começar algo novo e o medo de começar algo novo também. Eu sabia que a partir dali estaria completamente “nas mãos”, por assim dizer, do meu marido. Ele seria o meu suporte pros dias difíceis (e num país novo têm muitos dias difíceis), o meu companheiro de aventuras e o meu melhor amigo. E foi bem assim.

Nestes últimos quatro anos, vivemos de um tudo… muitos, muitos desafios e alegrias imensuráveis. Aliás, aqui fica a minha dica pra quem vai entrar num relacionamento intercultural: sejam amigos, antes de tudo. Num casamento intercultural há sacrifícios de ambos os lados. Se tem um que vai deixar o seu país de origem, seu idioma, sua família e amigos, sua comida, seu cachorro ou gato, seu trabalho e tudo mais. Também tem aquele que precisa dar o suporte e “ser” tudo isso. Especialmente no começo dessa mudança toda, o outro precisa “ser” a melhor amiga da esposa, que vai às compras, “ser” a mãe que dá o colo, “ser” a alegria que o pet traria pro dia. Tenha em mente que este relacionamento vai ter sempre alguém com saudade, alguém com um pedacinho faltando. E, de vez em quando, a saudade vai ser mais difícil do que em outros dias. Faz parte.

Só posso agradecer, porque recebi este amigo especial, este companheiro e suporte pra tantas mudanças. Ele me escuta, divide comigo como foi o seu dia, me incentiva no aprendizado do finlandês e nessa vida em terras finlandesas, diz até que eu já sou fluente, me chama de linda até quando acabei de acordar, me acompanha em tantas aventuras e até sonha comigo os sonhos que talvez nunca vamos realizar, mas que dá aquela alegria de imaginar. Ele me traz flores sem data especial, me diz “love you” todos os dias, me dá abraços quando eu mais preciso e gosta de conversar assuntos profundos em lugares inusitados. Não somos perfeitos, temos dificuldades, como qualquer casal, mas temos momentos tão perfeitos, que fazem tudo valer a pena. E há exatamente um ano atrás recebemos um desafio ainda maior, em tudo, mais dificuldades, mais alegrias e incontáveis memórias que vamos guardar pra sempre. Hoje nosso filhinho já esboça um “mama” e está quase andando, é tão esperto que enche nosso coração de orgulho. E a gente consegue passar um tempão só admirando a coisinha mais fofa deste mundo. Será que é normal a gente ver nosso filho como o melhor e mais adiantado em tudo?!

Enfim, pessoal, eu sei que talvez vocês gostariam de estar lendo algo sobre a Finlândia, talvez teria sido mais interessante, mas hoje estou com o coração transbordando de alegria e amor, precisava dividir isso. No próximo post a gente continua falando da Finlândia, combinado?


EN

Life has been so busy lately, hours and days going by. For example when I started this blog, I had the idea to keep posting once a week, about everyday life in Finland, and this even worked out in the beginning, but now I’m posting here once in a while, because, literally, I don’t have 5 minutes left to sit down and write something nice.

And talking about time, today is one of those days that we go back in time, comes nostalgia, gratefullness and a lot of affection in the heart. Today’s text is not about life in Finland, or it is… it is more about life with a Finn. I want to share with you a little of my personal life, to let you have a little idea of ​​what it is like to live with my favorite Finns.

Four years ago I was here in Brazil (ah! I forgot to mention, we are on vacation in Brazil!) celebrating our religious wedding. That day I had so much feeling deep inside and so many fears that I don’t even know right words to describe it. It’s like… love for the future husband, the fulfillment of a dream, the fear of change and adaptation, the happiness of starting something new and the fear of it too. I knew that from then on I would be completely “in his hands”, so to speak. He would be my support for difficult days (and in a new country there are many), my partner and my best friend. And it was indeed just like that.

In these last four years, we’ve lived through everything … many, many challenges and also immeasurable joys. Actually, here is my tip for those who are going to an intercultural relationship: first of all, be friends. In an intercultural marriage there are sacrifices on both sides. There is one that will leave a country, language, family and friends, food, a dog or a cat, job/career and everything else. There is also someone who needs to support and “be” all of this. Especially at the beginning of this whole change, the other one needs to “be” a best friend, who goes shopping, “be” the mother who cuddles, “be” the joy that the pet would bring. So, keep in mind that this kind of relationship will always have someone missing something, someone with a missing piece. And, from time to time, homesickness will be there. It’s part of it.

I can only thank, because I received this special friend, this partner and supportive for so many changes. He listens to me, shares with me how his day was, encourages me to learn Finnish and life in Finnish lands, even says that I’m already fluent on it, calls me beautiful even when I just woke up, join me on so many adventures and even dreams with me the dreams that we may never realize, but gives that joy of imagining it. He brings me flowers without a special reason, says “love you” every day, gives me hugs when I need them most and likes to talk about deep subjects in unusual places. We are not perfect, we have difficulties, like any couple, but we have moments so perfect that they make everything worthwhile. And exactly one year ago we received an even greater challenge, in everything, more difficulties, more joys and countless memories that we will keep forever. Today our little boy is already sketching a “mama” and is almost walking, he is so smart that he fills our hearts with pride. And we can spend a lot of time just admiring the cutest little thing in the world. Is it normal for us to see our son as the best and most advanced in everything?!

Anyway, guys, I know that maybe you would like to be reading something about Finland, maybe it would have been more interesting, but today my heart is overflowing with joy and love, I needed to share it. In the next post we keep talking about Finland, agreed?