Como faz o cachorrinho? | What does the dog says?

PT

Meu filho já está com quase dois anos e ele ainda não fala. Isto poderia ser algo preocupante, mas a situação é um pouco diferente quando ensinamos três idiomas ao mesmo tempo. A fala acaba levando mais tempo para acontecer.

Somos uma família multicultural, eu sou brasileira (falo português), meu esposo é finlandês (fala, obviamente, finlandês) e nosso relacionamento sempre foi em inglês. Então os três idiomas estão sempre presentes no nosso dia a dia e nós estimulamos nosso pequeno em todos estes idiomas.

Nosso foco é o português e o finlandês por serem nossas línguas maternas. Então, no caso, eu (e minha família nas chamadas de vídeo) falo com ele somente em português e meu esposo (e sua família) somente em finlandês. Mas nós nos comunicamos em inglês, e certamente ele acaba acompanhando nossas conversas também, também apresentamos músicas e vídeos infantis em inglês, além de ter nossa rotina espiritual em inglês também.

Parece confuso, mas acontece muito naturalmente. Ele se acostumou tanto que se eu converso em finlandês com alguém, ele sempre me olha como se fosse estranho pra ele o fato de eu estar falando finlandês também (ou talvez seja apenas o meu sotaque estrangeiro… vai saber…).

Bom, ele fala algumas palavrinhas… nos três idiomas. Por exemplo, ele me chama de äiti (mamãe em finlandês), o pai dele de papai (em português), os vovôs de pappa (em finlandês) e bye bye (em inglês). Ele entende os três idiomas, a gente consegue identificar bem isso e isso é o que mais importa.

Há algum tempo ele começou a fazer os sons de coisas e animais. E nós percebemos um pouco como os idiomas acabam se misturando um pouco na cabecinha dele, ele meio que acabou criando “seus próprios sons”. Por exemplo, ele não diz au-au, mas diz “ou-ou” quando vê um cachorrinho.

Então, hoje decidi mostrar pra vocês alguns desses sons em finlandês, pra que vocês possam ver as diferenças. Aliás, vocês sabiam que a descrição de alguns sons podem ser bem diferentes de uma língua para outra? Pois é, só agora com um pequeno em casa, que a gente se preocupa em ensinar os sons pra ele, é que eu fui perceber isso.

Então aqui vai uma pequena listinha de sons de animais.

E aí, muito diferente?


EN

My son is almost two years old and he still doesn’t speak. This could be worrying, but the situation is a little different when we teach three languages at the same time. Speech ends up taking longer to happen.

We are a multicultural family, I am Brazilian (I speak Portuguese), my husband is Finnish (he obviously speaks Finnish) and our relationship has always been in English. So the three languages are always present in our daily lives and we encourage our little one in all these languages.

Our focus is Portuguese and Finnish as they are our mother tongues. So, in this case, I (and my family on video calls) speak to him only in Portuguese and my husband (and his family) only in Finnish. But we communicate in English, and our son certainly ends up following our conversations too, we also present children’s songs and videos in English, in addition to having our spiritual routine in English as well.

It looks confusing, but it happens very naturally. He got so used to it that if I talk to someone in Finnish, he always looks at me like it’s strange to him to see me speaking also Finnish (or maybe it’s just my foreign accent… who knows…).

Well, he does speaks a few words… in all three languages. For example, he calls me äiti (mommy in Finnish), his daddy as papai (in Portuguese), grandpas as pappa (in Finnish) and bye bye (in English). He understands all the three languages, we can clearly identify that and that is what matters most.

Some time ago he started making the sounds of things and animals. And we noticed a how the languages end up kinda mixing a little bit in his head, he kind of ended up creating “his own sounds”. For example, he doesn’t say woof-woof, but he says “ou-ou” when he sees a dog.

So today I decided to show you some of these sounds in Finnish, so that you can see the differences. In fact, did you know that the description of some sounds can be very different from one language to another? Well, it is only now with a little boy at home, that we are concerned with teaching him sounds, that we realized that.

So here’s a little list of animal sounds.

So, very different?

Kantarellikeitto

PT

Olha quem resolveu aparecer pra cumprir o prometido! Sim, hoje vou postar a receita que prometi no último post: Kantarellikeitto!

A receita é muito simples, tem um sabor marcante (tanto que nos restaurantes, geralmente, é servida como entrada, em porção pequena, ao invés de prato principal), mas deliciosa!

Como disse no post anterior, a gente aqui consome bastante cogumelos silvestres. Um dos meus preferidos é o kantarelli (ou chanterelle, em inglês). Ele é todo amarelinho, bonitinho, parece um trompete e tem um gostinho de dar água na boca!

Nem eu e nem meu marido tínhamos feito essa receita antes, então pesquisamos algumas receitas diferentes até chegar no que fizemos.

Kantarellikeitto

Bom, não vou me ater muito à quantidade de ingredientes, porque acho que isso vai variar do quão forte você quer sua sopa, mas os ingredientes são: cogumelos kantarelli (preferencialmente frescos, mas dá pra adaptar com os secos também), manteiga, cebola, alho, pimenta do reino, sal, farinha de trigo, caldo de legumes e creme de leite fresco.

Pra ter uma ideia, um litro de cogumelos frescos rende mais ou menos 4 porções grandes de sopa.

A ideia é fazer um creme, então, comece fritando alho e cebola na manteiga. Por aqui a gente resolveu fazer os cogumelos de três formas diferentes: a maior parte, batemos no liquidificador com o creme de leite fresco, outra parte picamos e fritamos e deixamos uns menorzinhos para decorar o prato. Então, com cebola e alho fritos, adicione os cogumelos e frite até que não estejam mais aguados. Adicione farinha de trigo e adicione o caldo de legumes já com água até formar uma massinha, adicione o creme com cogumelos, pimenta do reino, sal (aqui nos adicionamos um pouco de queijo, porque queijo nunca é demais aqui em casa) e deixe cozinhar por aproximadamente 10 minutos.

E pronto, delicie-se!


EN

Look who decided to show up! Yes, today I will post the recipe I promised in the last post: Chanterelle’s soup!

The recipe is very simple, it has a strong flavor (so much that in most of restaurants, it is served as a starter, in a small portion, instead of the main dish), but delicious!

As I said in the previous post, we eat a lot of wild mushrooms here. One of my favorites is chanterelle. He’s all yellow, cute, looks like a trumpet and has a mouth-watering taste!

Neither my husband nor I had made this recipe before, so we researched a few different recipes until we got to what we made.

Chanterelle’s soup

Well, I’m not going to stick to the amount of ingredients, because I think it will vary how strong you want your soup, but the ingredients are: kantarelli mushrooms (preferably fresh, but you can adapt the recipe with the dried ones too), butter, onion, garlic, black pepper, salt, wheat flour, vegetable broth and cream.

You can have an ideia that a liter of fresh mushrooms makes about 4 large portions of soup.

The idea is to make a cream, then start frying garlic and onion in butter. Here we decided to make the mushrooms in three different ways: most of them, we blend the with cream, the other part we chop and fry and a few little nice looking ones to decorate. Then, with fried onion and garlic, add the mushrooms and fry until they are no longer watery. Add wheat flour and add the vegetable broth already with water until it forms a smooth dough, add the cream with mushrooms, black pepper, salt (here we add a little cheese, because cheese is never too much here at home) and let it cook for approximately 10 minutes.

And now is all about to taste it!