Flores | Kukkia

Bom, o verão já está quase acabando, é verdade. Mas se tem uma coisa que estou admirando (apaixonadérrima) desde a primavera são as flores por aqui… são diferentes, são exóticas e dão um colorido todo especial à paisagem.

Quando se pensa em Finlândia, a primeira coisa que vem a mente é um lugar longe, frio e nevando o tempo todo, certo? E está certo, em partes. É verdade que por aqui é inverno praticamente metade do ano, é mais frio, é escuro (e este com certeza vai ser um tema a ser discutido num futuro post) e branquinho quando neva. Porém, essa mudança de frio congelante pra primavera (ainda fria) e verão extremamente iluminado, é linda de ver… é lindo ver como as flores começam a sair debaixo de folhas secas e, antes, congeladas e, de repente, estão colorindo o caminho todo.

Muitas das flores que vi por aqui são flores que nunca tinha visto antes, tem formato e cores diferentes, algumas são super delicadas e outras parecem uma pequena árvore cheia de pequenas florzinhas.

Outra característica do verão finlandês, além das lindas flores, são os insetos. Sim, temos insetos por aqui. Alguns fofinhos, como bumblebees (meus favoritos), borboletas ou joaninhas, mas tem também vespa, abelhas, formigas, moscas e muitos mosquitos perto do lago (a única diferença é que estes – ainda – não transmitem doenças). Ainda bem que nas casas por aqui, além de terem o ar condicionado para manter a temperaura ambiente, tem umas janelinhas com tela laterais às janelas normais para ventilar e não deixar mosquitos e afins entrarem.

Com certeza algo que eu amei ver foi a transformação nos canteiros das ruas. Primeiro fica tudo verdinho, depois amarelo e depois branco (por causa das mudanças do dente-de-leão, que primeiro é uma for amarela e depois aquele pomponzinho lindo). E se contar que tem as fases de cada flor no canteiro, primeiro vem o dente-de-leão, depois tem umas mais rosadas e roxas, daí tem umas mais branquinhas, tem outras amarelas e por aí vai… por agora a fase é das framboesas.

Enfim, são os pequenos detalhes dessas terras finlandesas que me encantam dia após dia.

Aprecie sem moderação.

Design de Jyväskylä | Jyväskylä Designtori

No último sábado, 20, tivemos aqui em Jyväskylä uma feira de design da região. O evento foi bem movimentado, tivemos alguns food trucks e alguns docinhos típicos sendo vendidos por ali também. É um evento aberto aos artesãos e pequenas empresas finlandesas. O Jyväskylä Designtori acontece três vezes por ano (geralmente nos meses de Maio, Agosto e Novembro), é gratuito e é uma forma de promover o design da região. Particularmente, gosto de uma boa feira. É uma oportunidade de conhecer produtos que talvez você não veria normalmente, ver peças de lojas que talvez não te interessariam antes.

IMG_6396IMG_6399

E mais que tudo… os finlandeses têm o hábito de comprar e valorizar os designers finlandeses. Por exemplo, você pode encontrar uma cerâmica alemã num preço bem mais barato que uma cerâmica finlandesa. Os produtos “made in Finland” são supervalorizados e alavancam o trabalho de qualidade que tem por aqui!

Olimpíadas Rio 2016 | Olympiaset Rio 2016

E o tema da vez é Olimpíadas! Pra falar a verdade por aqui  está bem difícil acompanhar os Jogos Olímpicos. Com uma diferença de seis horas (horário de Brasília – Rio), a gente acaba perdendo boa parte dos jogos, ou pelo menos dos mais populares (e que eu gosto mais), como futebol, voleibol, handebol, ginástica e por aí vai… É verdade que até têm alguns reprises e alguns jogos a gente até consegue ver. Mas não é a mesma coisa, né?! Enfim, dessa vez a gente vai falar sobre a participação da Finlândia nos Jogos Olímpicos no Rio 2016.

De acordo com o site oficial das Olimpíadas Rio 2016, o grupo da Finlândia conta com 52 atletas, de 17 modalidades esportivas diferentes e participando em 57 provas. As modalidades esportivas são atletismo, badminton, boxe, ciclismo de estrada, ginástica artística, ginástica rítmica, golfe, hipismo, judô, levantamento de peso, luta olímpica, natação, taekwondo, tênis de mesa, tiro com arco, tiro esportivo e vela. Vamos conhecer um pouquinho dos atletas?

A atleta mais nova é Wilma Murto, que com apenas 18 anos participa na prova de atletismo salto com vara feminino.

E a atleta mais velha é Satu Makela-Nummela, que aos 45 anos participa no tiro esportivo fossa olímpica. Ela já foi campeã nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, numa vitória com 91 pontos (recorde olímpico), e ganhou as copas do mundo de 2005, 2006, 2012, 2014 e 2015.

Mesmo com a diferença de horário e graças às transmissões de uma das televisões por aqui, consegui assistir algumas participações da Finlândia nas Olimpíadas. Por exemplo, acompanhei algumas provas da nadadora Jenna Laukkanen. Ela participou das provas natação 100m peito feminino, natação 200m peito feminino e natação revezamento 4x100m medley feminino. Sinceramente, mesmo que eu não seja nenhuma atleta da natação ou de nenhuma outra modalidade esportiva, diria que ela é muito boa e, especialmente por ser bem nova ainda, com certeza tem um futuro bem promissor nas piscinas.

Na última sexta-feira foi o dia em que mais vi transmissões de atletas finlandeses nos jogos (ou porque foi o dia que estive mais tranquila em casa). Consegui assistir a participação no boxe peso ligeiro feminino (57-60kg) da finlandesa Mira Potkonen, que ganhou da brasileira Adriana Araújo nas oitavas de final. Aliás, hoje tem luta dela contra a chinesa Yin Junhua nas semifinais. De repente vem medalha por aí…

Pude ver um pedacinho do golfe jogo por tacadas individual masculino em que os finlandeses Mikko Ilonen e Roope Kakko participaram.

Assisti também a participação de Milko Olavi Tokola na final do levantamento de peso até 85kg masculino. Ele apareceu em alguns noticiários brasileiros porque desmaiou depois de levantar 195kg, o interessante é que eu estava assistindo e, como a transmissão é em finlandês não dá pra entender tudo o que o comentarista fala, quando ele caiu, a transmissão já passou pro próximo competidor e eu fiquei sem entender nada. Só espero que esteja tudo bem com o coitado do finlandês. Bom, uma curiosidade é que a mulher dele também é levantadora de peso.

E, não assisti a participação dela, mas ainda temos a finlandesa Anni Teija Orvokki Vuohijoki, do levantamento de peso até 63kg  feminino, que chamou atenção da mídia esportiva brasileira pelos cabelos roxos (aliás, bem comum os cabelos coloridos por aqui).

Anni Teija Orvokki Vuohijoki, atleta da Finlândia do levantamento de peso feminino, e seus cabelos roxos trançados Mike Groll / AP

Até o momento a Finlândia ainda não tem nenhuma medalha, mas ainda restam alguns dias de provas até dia 21 de agosto.

Ah! E uma curiosidade é o lugar onde os atletas finlandeses e suas respectivas comissões técnicas decidiram se hospedar para as Olimpíadas: Penedo! Quando li a informação, já me veio um “eu sabia” na cabeça… Para quem não sabe, Penedo fica em Itatiaia/RJ e é a única colônia finlandesa no Brasil. Então, enquanto não estiverem na Vila Olímpica, eles vão estar por ali em Penedo, praticamente sentindo-se em casa, com direito a sauna típica e chalés em meio a Mata Atlântica.

O site oficial das Olimpíadas Rio 2016 ainda comenta uma informação bem relevante, de que “a Finlândia fez sua estreia Olímpica em Londres 1908. Presente em 24 edições consecutivas, o país soma 301 medalhas: 100 ouros, 84 pratas e 117 bronzes. Em Londres 2012, os finlandeses ganharam uma prata e um bronze na vela e outro bronze no atletismo.” Então fiz uma rápida pesquisa, claro, sobre a relação da Finlândia com as Olimpíadas. A maior parte das medalhas olímpicas da Finlândia são para lutas e atletismo (nos jogos de verão) e esqui (nos jogos de inverno).

A Finlândia também já sediou os Jogos Olímpicos de 1952 em Helsinki. Na época, Helsinki tinha apenas 362 mil habitantes, sendo assim a menor cidade a receber os tão grandiosos Jogos Olímpicos. Para se ter uma ideia, o Estádio Olímpico tinha 70 mil lugares, um tanto grande pro tamanho da cidade, né?! Essa foi a primeira vez que a URSS participou nos Jogos Olímpicos, o que trouxe uma tensão política e também uma ameaça à supremacia dos Estados Unidos do quadro de medalhas.

Bom, as Olimpíadas ainda não acabaram, então vamos esperar pra ver se a Finlândia ainda traz alguma medalha pra casa.

Até a próxima!