Helsinki

Visitamos no último final de semana a capital da Finlândia: Helsinki. A cidade é grande (especialmente considerando o tamanho das cidades por aqui), bastante espalhada, um trânsito meio doido e uma quantidade surpreendente de estrangeiros. Por ser uma cidade costeira, lembrando que ali temos o Mar Báltico, o vento é gelado!

Como foi só um final de semana, e não deu pra fazer muitos passeios ao ar livre por causa do vento frio, demos uma passeada ali pelo centro mesmo. Pegando o ônibus e descendo bem no centro, você logo vê uma estátua do Aleksis Kivi, um escritor finlandês, e a estação central de trem.

IMG_7869.JPG

IMG_7872.JPG

Também já dá pra ver o Ateneum, com obras mais modernas datadas desde o século 19. Pra quem quiser visitar, a entrada é 15 Euros e você também pode pagar um pouquinho a mais e doar 2 Euros pra arte finlandesa.

img_7871img_8022

Andando umas três quadras dali, passamos pela Kansalliskirjasto, a Biblioteca Nacional Finlandesa. Mas estava fechada justamente neste sábado. Mas é possível fazer uma visita sem pagar nada.

IMG_7887.JPG

Logo em frente fica a Helsingin Tuomiokirkko, Catedral de Helsíquia. é a terceira igreja na cidade. Uma curiosidade para quem não sabe, os finlandeses são, em sua maioria, luteranos. E nesta entrada lateral é possível ver um tetragrama com o nome de Deus.

img_7885img_7886

E ali também está Senaatintori, o Senado finlandês. Um patio enorme em frente é onde você pode encontrar muitos turistas.

img_7890img_7891img_7913

Ali por perto, passando pelo escritório do presidente.

IMG_7947.JPG

E por aí também, à beira mar, tem o Kauppatori, uma feira em que você encontra comidas típicas, roupas, trabalhos manuais. E eu já sei que no verão é um lugar bem animado, mas nesse final de outono estava meio vazio, pra falar a verdade.

img_7960img_7978img_7979

Porém, há uma outra opção: Vanha Kauppahalli, o Mercado Antigo. Por ali tem excelentes opções de alimentos típicos (ou não), peixes, queijos, nozes, castanhas e amêndoas, verduras e legumes, e uma boa refeição rápida, mas o carro chefe por ali são as sopas.

img_7988img_7991img_7992

Saindo da área dos mercados, tem um parque linear, Esplanadi. E depois já voltamos ao centro.

IMG_7995.JPG

Ah! Por ali perto tem o shopping (bem grandinho até… 8 andares) Stockmann. Onde você encontra de tudo: eletrônicos, roupas, perfumes, pães, cafés, maquiagem, calçados, etc.

IMG_8011.JPG

Um lugar bem legal pra uma caminhada, um pique-nique (especialmente se não estiver frio)… é o Sibeliuksen Puisto, um parque (e um monumento lindo) em homenagem à Jean Sibelius. Ele foi um compositor finlandês, um dos mais populares no final do século XIX e início do século XX. Escreveu sete sinfonias e, assim como Beethoven, cada uma numa ideia musical. No parque, você pode usar o código QR para escutar uma de suas composições.

img_8043img_8044img_8045img_8047img_8060img_8086

É isso, Helsinki é uma cidade que dá pra se fazer uma visita rápida e se apaixonar pelos visuais antigos e modernos se misturando.

img_7925img_7926img_7927img_7962img_7964img_7997img_8004

Mas querendo conhecer melhor… a cidade conta com 80 museus! Visite Helsinki!

Anna Puu – Säännöt rakkaudelle

POST ATUALIZADO.
>>> Oi, pessoal! Eu tinha feito um vídeo legendando música e a tradução, mas foi bloqueado no Youtube. Então, repostando aqui o vídeo original e as letras logo abaixo. Enjoy it!

Oi pessoal! Hoje quero compartilhar com vocês uma música que aprendi na aula de finlandês, apesar de que eu já tinha ouvido antes nesse esquema de shuffle do Youtube. Anna Puu é uma cantora finlandesa que apareceu no Finnish Idol e terminou em segundo lugar no ano de 2008. Uma curiosidade é que Puu é o diminutivo do sobrenome dela: Puustjärvi; mas também a palavra PUU em finlandês quer dizer árvore ou madeira. Engraçadinho o nome artístico, né?!

A música é Säännöt rakkaudelle que traduzido quer dizer “as regras do amor”. É bem bonitinha. E pelas paisagens do clipe, dá pra ter uma ideia do que nos espera em breve: inverno.

Anna Puu – Säännöt rakkaudelle
Me emme saa haluta toisiamme niin, että valehdellaan
Kotona koskaan rakkaillemme, tämä on sääntö ensimmäinen.
Emme saa sanoa toisillemme
“Mitäpä jos kaiken riisuisimme?
Avaamme viimeisenkin portin.”
Tämä on sääntö numero kaks.
Meidän täytyy keksiä säännöt rakkaudelle.
Ja rakastaa niiden rajoissa, hiljentää risteyksiin ajoissa.
Meidän täytyy keksiä säännöt rakkaudelle.
Ja rakastaa niiden rajoissa, kääntyä kotiin ajoissa.
Me emme saa katsoa toisiamme niin, että totuuden paljastamme.
Laskemme sisään ja iäksi viereen, tämä sääntö kolmas jo on.
Emme saa tarvita toisiamme niin, että vajotaan.
Emmekä elää voi omillamme, tämä on sääntö lohduttomin.
Meidän täytyy keksiä säännöt rakkaudelle.
Ja rakastaa niiden rajoissa, hiljentää risteyksiin ajoissa.
Meidän täytyy keksiä säännöt rakkaudelle.
Ja rakastaa niiden rajoissa, kääntyä kotiin ajoissa.
Emme saa hylätä toisiamme, entä jos sittenkin rakastumme?
Jos alussa yhdeksi meidät luotiin, tämä on sääntö viimeinen.
Meidän täytyy keksiä säännöt rakkaudelle.
Ja rakastaa niiden rajoissa, hiljentää risteyksiin ajoissa.
Meidän täytyy keksiä säännöt rakkaudelle.
Ja rakastaa niiden rajoissa, kääntyä kotiin ajoissa.

Anna Puu – As regras do amor

Nós não podemos querer tanto um ao outro, então nós vamos mentir
Nunca para nossos entes queridos, essa é a primeira regra.
Não devemos dizer um ao outro
“E se despirmos tudo?
Abrimos a última porta.”
Essa é a regra número dois.
Nós temos que criar as regras do amor.
E amar uns aos outros em seu domínio, desacelerar as junções do tempo.
Nós temos que criar as regras do amor.
E amar uns aos outros em seu domínio, voltando para casa a tempo.
Nós não podemos olhar um para o outro, então as verdades serão reveladas.
Deixe elas virem e ao seu lado para sempre, essa já é a regra número três.
Nós não podemos precisar um do outro, senão nós vamos afundar.
E nós também não podemos viver sozinhos, essa é a pior regra.
Nós temos que criar as regras do amor.
E amar uns aos outros em seu domínio, desacelerar as junções do tempo.
Nós temos que criar as regras do amor.
E amar uns aos outros em seu domínio, voltando para casa a tempo.
Nós não podemos abandonar um ao outro, e se nós nos apaixonarmos?
Se no princípio fomos criados como um só, essa é a última regra de todas.
Nós temos que criar as regras do amor.
E amar uns aos outros em seu domínio, desacelerar as junções do tempo.
Nós temos que criar as regras do amor.
E amar uns aos outros em seu domínio, voltando para casa a tempo.
Compositores: Anna Puu / Heimo Hatakka / Jukka Immonen / Lasse Kurki / Zacharis Alexander Stierncreutz

Danças típicas finlandesas | Perinteisiä suomalaisia tansseja

Não sei vocês, mas eu gosto de uma boa dança. Por aqui as danças tradicionais podem variar desde divertidas até mais românticas. Já dancei algumas vezes e achei alguns vídeos no Youtube. Vejam alguns exemplos de danças típicas finlandesas:

Humppa

É um ritmo finlandês, uma mistura de jazz e foxtrot muito rápido. A palavra humppa em finlandês humppa é usada para dança social e foi inventada por Antero Alpolapara um programa de rádio em 1950. Ele trouxe essa influência da Oktoberfest alemã, onde o pessoal por lá usava a palavra oompah pra descrever um ritmo tocado com tuba onde a primeira batida fazia um som de “hump” e a segunda um “pa”. Existem três formas de dançar Humppa, a primeira os dançarinos começam juntos na primeira batida; a segunda tem ritmo e movimentos de samba e valsa; e a terceira forma também é conhecida por Nilkku, é dançada num passado lento, lento, rápido, rápido, com uma aparência de manco.

Jenkka

É uma dança rápida, dançada no tempo 2/4 ou 4/4. Homens e mulheres fazem passos semelhantes, segurando na cintura um do outro. O homem fica à esquerda e a dança segue em frente. É uma versão finlandesa do Schottische – dança originária da Bohemia – no Brasil seria algo entre o xote e o chamamé.

Letkajenkka (Letkiss)

Letkiss talvez seja a música mais famosa e, por isso, o ritmo acaba sendo conhecido pelo mesmo nome. E os amigos que estiveram no nosso casamento já conhecem, porque todos se juntaram numa grande dança! Este gênero musical ficou popular nos anos 1963-1965 por aqui. A ideia é tocar Jenkka com instrumentos não tradicionais. Os instrumentos que tocam Jenkka são basicamente violino e acordeão, já Letkajenkka é tocada com instrumentos de sopro, guitarra, baixo e bateria. Quem começou o Letkajenkka foi Erik Lindström, a banda sueca Adventurers gravou e, imediatamente, fez sucesso na Finlândia. Depois um norueguês nascido nos Estados Unidos, Jan Rohde, gravou com os Adventurers e a banda Wild Ones (norueguesa), que fez sucesso na Holanda. Meio ano depois, Rauno Lehtinen gravou a música Letkis e aí a música explodiu como a música mais popular de Letkajenkka. Enfim, o ritmo foi sucesso por vários países na Europa, América Latina e até no Japão. Vários compositores escreveram canções ou fizeram versões das originais músicas de Letkajenkka. Os passos são no estilo Bunny Hop, de 1950, que estudantes americanos fazendo intercâmbio na Finlândia trouxeram pra cá. Os passos são basicamente: esquerda, esquerda, direita, direita, salta pra frente, salta pra trás e dá três saltos pra frente.

Tango

Existe até uma “briguinha” se o tango é argentino ou finlandês. O tango é bem tradicional por aqui também, assim como na Argentina. É um ritmo menos sensual que o argentino, os dançarinos por aqui dizem que o tango finlandês tem mais contato (peito com peito) e mais sentimento que o tango argentino. Com passo longos e um estilo próprio finlandês, mas de passos bem marcados.

Valssi

Essa é a valsa, aquela que a gente já conhece. É muito comum em festas de casamento, salões de dança ou jantares por aqui. É verdade que com o tempo a panturrilha morre, mas valsa é pra mim a dança mais bonita.

De forma geral, as músicas finlandesas são tocadas na base de um acordeão.