Terceiro trimestre |Viimeinen kolmannes

DSC_0133.jpg

PT

Antes de tudo, sim, nosso bebê já nasceu. E ele é lindo! Claro que vou comentar o parto e pós parto ainda no hospital, de forma informativa, para quem quiser conhecer o sitema por aqui. Mas, como prometido… vamos aos acontecimentos do terceiro trimestre.

Bom, como nos trimestres anteriores, passei por mais médicos e exames do que as gestantes normalmente passam. Além da diabetes e o útero septado, passei por algumas semanas com o que se chama de alta resistência placentária, então exigiu ainda mais cuidados. As consultas e ultrassons passaram a ser a cada duas semanas e, no final, já eram semanais.

Algo bem interessante para dividir com vocês é que a maternidade disponibilizou gratuitamente para nós um curso de pais de primeira viagem, voltado principalmente para o parto. E, antes que alguém pergunte… parto por aqui é normal, “até que se prove o contrário”. Ou seja, existe a possibilidade de cesariana eletiva, porém não é comum e tão pouco fácil encontrar médicos dispostos a isso. Normalmente o parto será normal, podendo ser natural e até em casa, se esta for a vontade dos pais e tudo estiver colaborando para isso.

O curso durou uma tarde e foi bem interessante. De início fomos apresentados à um vídeo em animação mostrando o que acontece durante o trabalho de parto por completo, desde as primeiras contrações até a saída da placenta. Depois fomos conhecer a sala de parto, material que pode ser utilizado para relaxar entre as contrações e o que pode ser usado para as diferentes posições na parte final do parto, também conhecemos as diferentes opções de anetesias disponíveis para diminuir as dores do parto. Passamos por salas como onde o pai pode ficar tendo o contato pele com pele com o bebê em caso de parto cesariana, também onde o bebê pode ficar encubado, em caso de necessidade. E terminamos conhecendo as opções de quarto para o pós parto. Para encerrar o curso tivemos uma sequência de exercícios para aprender como relaxar entre as contrações e como os papais também podem participar ajudando neste relaxamento. Enfim, foi bem interessante conhecer os ambientes que passaremos em breve, além de esclarecedor, claro!

Continuei com as consultas com o endocrinologista, mas a diabetes realmente estava bem controlada durante a gravidez. Porém, como se não bastassem todos os meus “poréns”, tive que tomar a vacina AntiD porque o bebê tinha fator Rh do sangue positivo e o meu é negativo.

Como disse no comecinho do texto, tive alta resistência placentária. Havia uma grande possibilidade de ter um parto prematuro, porque, de forma simplificada, o bebê não estava recebendo 100% dos nutrientes. Tanto que, por isso, meus pais vieram do Brasil um pouco antes do planejado. E a todo e qualquer sinal de parto, eu já ligava na maternidade e, algumas vezes, cheguei a ir para consulta. A verdade é que, por causa da diabetes, meu parto não chegaria à semana 40. Os médicos me avisaram que, se nada acontecesse antes, na semana 38 o meu parto seria induzido. Então eu fiquei, primeiro, querendo que o bebê viesse logo pra não ter que passar pela oxicitocina, mas, ao mesmo tempo, querendo que ele ficasse mais tempo para desenvolver melhor e vir quando estivesse prontinho.

E como todos os presentinhos para um bebê a caminho são bem-vindos, além da caixa do governo, fizemos cadastro no site da Libero (uma marca de produtos para bebê) e ganhamos uma bolsinha com várias coisinhas dentro para o cuidado do bebê. Que já foi bem útil para preparar a bolsa maternidade. Aliás, sobre a bolsa maternidade, a sugestão é preparar a roupinha de saída do bebê e a sua própria roupa de saída, além dos seus próprios itens de higiene pessoal. Não há necessidade de roupas para o tempo em que estiver no hospital, já que eles disponibilizam roupas para o bebê e você pelo tempo que estiverem lá.

Bom, no final estávamos preparando “o ninho” por aqui, lavando as roupinhas, colocando tudo no lugar e assistindo aos vídeos disponibilizados no site do hospital sobre as etapas do dia do parto. Ansiosos? Muito! Até que o dia chegou. E sobre este dia eu contarei no próximo post.


EN

 

First of all, yes, our baby was born. And he is so beautiful! Of course I will comment the birth and postpartum, informatively, for anyone who wants to know more about the system here. But as promised… let’s go through the third trimester.

Well, like in the previous ones, I have gone through more doctors and tests than pregnant women normally go through. In addition to diabetes and the septated uterus, I spent a few weeks with what is called high placental resistance, so I needed even more care. The appointments and ultrasounds began to be every two weeks, and in the end, they were already weekly.

Something very interesting to share with you guys is that maternity has made available to us a course for first-time parents, focused mainly on childbirth. And, before anyone asks… giving birth here is most likely by normal ways. I mean there is a possibility of elective c-section, but it is not common and so easy to find doctors willing to do so. The birth can be also natural and even at home, if this is the will of the parents and everything is collaborating for it.

The course lasted an afternoon and was very interesting. At first we were introduced to an animated video showing what happens during labor completely, from the first contractions to the exit of the placenta. Afterwards we got to know the delivery room, what could be used to relax between contractions and what could be used for the different positions in the final part of the delivery, we also know the different options of anesthetics available to reduce labor pain. We went through rooms such as where the father can be having the skin-to-skin contact with the baby in case of c-section, also where the baby would in case of intensive care. And we ended up knowing the room options for postpartum. To finish the course we had a sequence of exercises to learn how to relax between the contractions and how the dads can also participate helping in this relaxation. Anyway, it was very interesting to know the environments that we will soon pass, besides enlightening, of course!

I continued to see the endocrinologist, but diabetes was really well controlled during pregnancy. But as if all my “buts” were not enough, I had to take the AntiD vaccine because the baby had a positive Rh blood factor and mine is negative.

As I said at the beginning of the text, I had high placental resistance. There was a great possibility of having a preterm birth because, in a simplified way, the baby was not receiving 100% of my nutrients. For that reason my parents came from Brazil a little earlier than planned. And at every sign of childbirth, I was already calling in the maternity and sometimes I went to see the doctor. The truth is that, because of diabetes, my delivery would not be through week 40. The doctors warned me that if nothing happened earlier, by week 38, my labor would be induced. So I was, first, wanting the baby to come so I would not have to go through oxytocin, but at the same time, wanting him to stay longer to develop better and come when he was ready.

And as all the goodies for a baby on the way are welcome, in addition to the government box, we have registered on Libero’s website (a brand of baby products) and we got a little bag with few things inside to care for the baby. That was very useful to prepare the maternity bag. By the way, about the maternity bag, the suggestion here is to prepare the baby’s outfit and mom’s own outfit and toiletries. There is no need for clothes for the time you are staying in the hospital, since they provide clothes for you and the baby for as long as you are there.

Well, in the end we were preparing “the nest” here, washing the clothes, putting everything in place and watching the videos available on the hospital’s website about the steps of the day of delivery. Anxious? A lot! Until the day came. And about this day I will tell you in the next post.

Elastinen – Supervoimii

PT

Hoje resolvi postar uma música bem especial pra mim, porque o maridíssimo disse que “foi feita pra mim”. E nada mais exótico que um rapper falando de amor. Espero que gostem também!

SUPERVOIMII
SUPER PODERES

Kun sä löysit mut tuolta
Quando você me encontrou lá

Mä olin sekasin, mut näin et heti hyvä täpinä
Eu estava confuso, mas percebi que a vibe era boa

Sovittiin et me nähtäis selvinpäin, taidat olla selvännäkijä
Nós concordamos em nos encontrar sóbrios, você parece ser uma adivinha

Näit mus jotain mitä itekkään en nää, se miten voitas toisiimme täydentää
Você viu algo em mim que eu não vejo, como poderíamos completar um ao outro

Ei ollu hajuukaan miten tää tehdään, luulin ettei näin vois enää käydäkään
Eu não tinha ideia de como fazer, pensei que isso não poderia mais acontecer

Olin luovuttanutki, tutkimattomat oli putkiaivon tiet
Eu também tinha desistido, os caminhos de uma mente simples eram desconhecidos

Tuo kenkii kulutti, vaa yksinkertainen monimutkainen mies
Isso desgastou meus sapatos, apenas um homem simplesmente complicado

Sä otit vastaan sen haasteen, kai näit miten korjattua saat sen
Você aceitou o desafio, acho que viu como consertar

Miten mä sut ansaitsen?
Como te mereço?

En tajuu miten saat tän toimii, sul täytyy olla supervoimii
Eu não entendo como você faz isso funcionar, você deve ter super poderes

Oot teräsnainen, pysyt kasassa kun hajoon
Você é mulher de ferro, você fica junto quando eu desmorono

Nostat ylös kun alan vajoo
Você me levanta quando eu começo a me afundar

Mä en oo helpoimmast pääst, valuvikoi en voi edes pyytää anteeks
Eu não sou o mais fácil, eu não posso nem pedir desculpas pelos defeitos na fundição

Mun pimeet puolta ei noi saa nähä, mut sä saat siitä enemmän ku tarpeeks
Ninguém está autorizado a ver o meu lado negro, mas você tem mais do que o suficiente

Ja on se molemmille rankkaa, mut aina vaa jotenki sä skarppaat
E é difícil para nós dois, mas de alguma forma você sempre faz um esforço

Ja kun mä hajoon sataan osaan rikki, sul on taika niistä kasaa mosaiikki
E quando estou dividido em cem pedaços, você tem a mágica de fazer mosaicos deles

Sä et oo luovuttamassa, ja mä en lepää ennen ku oon korjannu kaiken viel
Você não está desistindo, e eu não vou descansar até ter consertado tudo

Sä jaksat mun kanssa, vaik oon yksinkertainen monimutkainen mies
Você me atura, apesar de eu ser um homem simples e complicado

Ei aina ruusuilla tanssii, tiiän että mult puuttuu balanssii
Nem sempre é como dançar sobre rosas, eu sei que não tenho equilíbrio

Mut haluun muuttuu sun kans, niin…
Eu quero mudar com você, então…

En tajuu miten saat tän toimii, sul täytyy olla supervoimii
Eu não entendo como você faz isso funcionar, você deve ter super poderes

Oot teräsnainen, pysyt kasassa kun hajoon
Você é mulher de ferro, você fica junto quando eu desmorono

Nostat ylös kun alan vajoo
Você me levanta quando eu começo a me afundar

Vastoin todennäkösyyksii, sä yhä jaksat mua yytsii
Contra todas as probabilidades, você ainda tem a energia para me empurrar

Pidät mun puolii, siit ei oo epäilyksii
Você fica do meu lado, não há dúvida

Vastoin todennäköisyyksii, mä en oo ikin enää yksin
Contra todas as probabilidades, eu nunca mais estarei sozinho

En oo ikin enää yksin!
Nunca mais estarei sozinho

En tajuu miten saat tän toimii, sul täytyy olla supervoimii
Eu não entendo como você faz isso funcionar, você deve ter super poderes

Oot teräsnainen, pysyt kasassa kun hajoon
Você é mulher de ferro, você fica junto quando eu desmorono

Nostat ylös kun alan vajoo
Você me levanta quando eu começo a me afundar

En tajuu miten saat tän toimii, sul täytyy olla supervoimii
Eu não entendo como você faz isso funcionar, você deve ter super poderes

Oot teräsnainen, pysyt kasassa kun hajoon
Você é mulher de ferro, você fica junto quando eu desmorono

Nostat ylös kun alan vajoo
Você me levanta quando eu começo a me afundar

Supervoimii!
Super poderes!


EN

Today I decided to post a very special song for me, because my husband said that “it was made for me”. Also nothing more exotic than a rapper talking about love. I hope you guys like it too!

SUPERVOIMII
SUPER POWERS

Kun sä löysit mut tuolta
When you found me there

Mä olin sekasin, mut näin et heti hyvä täpinä
I was confused, but I saw right a away that the vibe was good

Sovittiin et me nähtäis selvinpäin, taidat olla selvännäkijä
We agreed to meet sober, you seem to be a fortuneteller

Näit mus jotain mitä itekkään en nää, se miten voitas toisiimme täydentää
You saw something in me that I don’t see, how we could complete each other

Ei ollu hajuukaan miten tää tehdään, luulin ettei näin vois enää käydäkään
I had no clue how this is done, I thought this couldn’t happen anymore

Olin luovuttanutki, tutkimattomat oli putkiaivon tiet
I had also given up, the ways of a simple mind were unknown

Tuo kenkii kulutti, vaa yksinkertainen monimutkainen mies
It wore out my shoes, just a simply complicated man

Sä otit vastaan sen haasteen, kai näit miten korjattua saat sen
You took on the challenge, guess you saw how to fix it

Miten mä sut ansaitsen?
How do I deserve you?

En tajuu miten saat tän toimii, sul täytyy olla supervoimii
I don’t understand how you make this work, you must have super powers

Oot teräsnainen, pysyt kasassa kun hajoon
You’re Iron Woman, you stay put together when I fall apart

Nostat ylös kun alan vajoo
You pull me up when I start to sink

Mä en oo helpoimmast pääst, valuvikoi en voi edes pyytää anteeks
I’m not the easiest, I can’t even apologize for the flaws in casting

Mun pimeet puolta ei noi saa nähä, mut sä saat siitä enemmän ku tarpeeks
No one allowed to see my dark side, but you get more than enough of it

Ja on se molemmille rankkaa, mut aina vaa jotenki sä skarppaat
And it’s tough for us both, but somehow you always make an effort

Ja kun mä hajoon sataan osaan rikki, sul on taika niistä kasaa mosaiikki
And when I break into a hundred pieces, you have the magic to make mosaic out of them

Sä et oo luovuttamassa, ja mä en lepää ennen ku oon korjannu kaiken viel
You’re not giving up, and I won’t rest until I’ve fixed everything

Sä jaksat mun kanssa, vaik oon yksinkertainen monimutkainen mies
You put up with me, even though I am a simple, complicated man

Ei aina ruusuilla tanssii, tiiän että mult puuttuu balanssii
It’s not always dancing on roses, I know I lack balance

Mut haluun muuttuu sun kans, niin…
I want to change with you, so…

En tajuu miten saat tän toimii, sul täytyy olla supervoimii
I don’t understand how you make this work, you must have super powers

Oot teräsnainen, pysyt kasassa kun hajoon
You’re Iron Woman, you stay put together when I fall apart

Nostat ylös kun alan vajoo
You pull me up when I start to sink

Vastoin todennäkösyyksii, sä yhä jaksat mua yytsii
Against all odds, you still have the the energy to push me

Pidät mun puolii, siit ei oo epäilyksii
You take my side, there’s no doubt

Vastoin todennäköisyyksii, mä en oo ikin enää yksin
Against all odds, I’m never alone anymore

En oo ikin enää yksin!
I’m never alone anymore!

En tajuu miten saat tän toimii, sul täytyy olla supervoimii
I don’t understand how you make this work, you must have super powers

Oot teräsnainen, pysyt kasassa kun hajoon
You’re Iron Woman, you stay put together when I fall apart

Nostat ylös kun alan vajoo
You pull me up when I start to sink

En tajuu miten saat tän toimii, sul täytyy olla supervoimii
I don’t understand how you make this work, you must have super powers

Oot teräsnainen, pysyt kasassa kun hajoon
You’re Iron Woman, you stay put together when I fall apart

Nostat ylös kun alan vajoo
You pull me up when I start to sink

Supervoimii!
Super powers!

A tão famosa caixa finlandesa | Äityspakkaus

Foto: kela.fi

PT

Hoje eu vim falar de algo que muita gente tem curiosidade, mas também têm outros nunca ouviram falar… a tal caixa de maternindade que o governo finlandês dá para as futuras mamães.

Falando rapidamente da história dessa caixa, tudo começou quando a Lei de Subsídios à Maternidade foi aprovada, em 1937, as primeiras bolsas de maternidade foram distribuídas no ano seguinte, a princípio, somente para mães de baixa renda. Isso começou porque as taxas de natalidade estavam baixando e a mortalidade infantil estava alta. Graças à caixa de maternidade, as mamães tiveram melhor acesso à saúde pública e até hoje a Finlândia mantém um dos níveis mais baixos de mortalidade infantil e materna do mundo. Em 1938, cerca de dois terços das novas mães receberam uma caixa de maternidade. Na época, para cada recém-nascido recebia-se também 450 marcos finlandeses. Isso equivalia a pouco mais de um terço do salário médio mensal de um trabalhador industrial. E em 1949, o benefício foi disponibilizado para todas as mães.

Embora a caixa seja muito famosa, geralmente somente as mamães de primeira viagem que optam pela caixa. Apenas um terço de todas as mães grávidas optam pelo benefício em dinheiro. Ah! Sim, existe a opção de receber uma quantia em dinheiro (em 2018, o valor é de 140 €) ou a caixa de maternidade. A caixa é unissex, por isso, por vários anos, as cores eram neutras, podendo usar as roupinhas tanto para meninas como para meninos. Antes da década de 1970, a cor principal era tipicamente branca. O responsável por entregar estas caixas de materinade, desde 1994, é o “Kela”, uma instituição pública de serviço social. Como pré-requisito para ganhar este pacote de maternidade é preciso seguir o acompanhamento pré-natal desde o primeiro trimestre da gestação. Quem vai dar a autorização para o pedido é a Neuvola, quando a gestante já tiver 154 dias de gestação. E é preciso fazer o pedido pelo menos dois meses antes da data prevista para o nascimento do bebê.

Como vocês podem ver na foto acima, a caixa de maternidade contém roupas de bebê, bem como produtos de cuidado. A coleção muda todos os anos, mudando as cores dos produtos e às vezes acrescentando alguns itens. Em 2018 a caixa veio com 64 itens diferentes. Ah! E tudo está numa caixa, com um colchãozinho, que tem por objetivo ser o primeiro berço do bebê, aliás ao longo dos anos este é também um dos motivos que a mortalidade diminuiu.

Apesar de a caixa de maternidade de ser um benefício tão bom, está disponível somente na Finlândia e para os residentes finlandeses,  não é comercializada e nem enviada à finlandeses morando em outros países.

E quanto aos gêmeos, trigêmeos e adotados? Bom, os pais adotivos recebem um pacote de maternidade, seja a caixa ou o dinheiro, se a criança que eles estiverem adotando tiver menos de 18 anos de idade. Quanto aos bebês múltiplos, há um pacote adicional… ou seja, para os gêmeos, três vezes o pacote de maternidade, para trigêmeos, seis vezes o pacote de maternidade, etc.

Pessoalmente, gostei muito da caixa, os produtos são de qualidade e bem coloridos. Claro que não é TUDO o que você precisa, mas um básico para os cuidados com o bebê. As roupinhas são de diferentes tamanhos, próprias para o primeiro ano do bebê, e há também roupinhas bem quentinhas preparando também para o friozão do inverno por aqui. Também têm alguns produtinhos para a mamãe, como protetores para os seios, pomada para os mamilos, absorvente e camisinhas. E a caixa, seja para berço ou só para usar como caixa mesmo, é linda! Enfim, vai ser muito útil e já ajuda muito nas inúmeras coisas que a gente precisa comprar quando um bebê está à caminho. Porque a verdade é que, como mamãe de primeira viagem, quando acho que já tenho tudo o que preciso, lembro ou descubro mais alguma coisa que precisamos pros cuidados do bebê (ou da recém mamãe também).

Se quiserem checar tudo o que vem na caixa de maternidade de 2018, vocês podem acessar o site do Kela e ver a lista de itens.


EN

Today I came to talk about something that many people are curious about, but also others never heard about it… the box of maternity that the Finnish government gives to the moms to be.

A short version of the history of this box, it all started when the Maternity Grants Act was approved in 1937, the first maternity grants were distributed the following year, initially only for low-income mothers. All this began because birth rates were falling and infant mortality was high. Thanks to the maternity ward, moms have had better access to public health and from there until now Finland maintains one of the lowest levels of infant and maternal mortality in the world. In 1938, about two-thirds of the new mothers received a maternity ward. At the time, for each newborn, there were also 450 Finnish marks. That was a little more than a third of the average monthly wage of an industrial worker. And in 1949, the benefit was made available to all mothers.

Although the box is very famous, usually only the first-time moms opt for the box. Only a third of all pregnant mothers opt for the cash benefit. Ah! Yes, there is the option to receive a cash amount (in 2018, the value is 140 €) or the maternity box. The box is unisex, so for several years, the colors were neutral fitting for both girls and boys. Prior to the 1970s, the main color was typically white. The institution responsible for delivering these materinade boxes since 1994 is “Kela”, a public social service institution. To gaining this maternity package, it is necessary to follow prenatal care from the first trimester of pregnancy. Who will give the authorization for the request is Neuvola, when the pregnant woman has already complete 154 days of pregnancy. And it is necessary to make the request at least two months before the due date.

As you can see in the picture above, the maternity box contains baby clothes as well as care products. The collection changes every year by changing the colors of the products and sometimes adding a few items. In 2018 the box came with 64 different items. Ah! And everything is in a box, with a mattress, which aims to be the baby’s first cradle, in fact over the years this is also one of the reasons that mortality has decreased.

Although the maternity case is such a good benefit, it is available only in Finland and for Finnish residents, it is not for sell or sent to Finns living in other countries.

What about twins, triplets, and adoptees? Well, foster parents receive a maternity package, box or money, if the child they are adopting is under 18 years of age. As for multiple babies, there is an additional package… that means, for the twins, three times the maternity package, for triplets, six times the maternity package, etc.

Personally, I really liked the box, the products are quality and well colored. Of course it’s not ALL you need, but a basics for baby care. The clothes are of different sizes, suitable for the first year of the baby, and there are also very warm clothes preparing also for the cold of winter here. Also have some products for mom, such as breast protectors, ointment for nipples, hygienic napkins and condoms. And the box, whether for cradle or just to use as a box, is beautiful! Anyway, it will be very useful and already helps a lot in the countless things that we have to buy when a baby is on the way. Because the truth is that, as a first-time mom, when I think I already have everything I need, I remember or discover something else that we need to get for the baby (or for this mom to be as well).

If you want to check everything that comes in the 2018 Maternity Box, you can go to Kela’s website and check the list.

E o segundo trimestre já se foi! | Toinen kolmannes on jo ollut!

DSC_0961

PT

Segundo trimestre já está terminando e vou contar pra vocês como foi o pré natal durante este período. Mas antes queria rapidinho comentar como foi bom ter finalmente uma barriguinha pra admirar, sentir os movimentos e os chutinhos e já não estar mais tão cansada.

Bom, quando terminado o primeiro trimestre tivemos um ultrassom. Neste trimestre tivemos um ultrassom e uma visita à neuvola a cada mês. E na vigésima semana em um dos ultrassons conseguimos vem um menino por aí! As visitas à neuvola são sempre bem informativas, sobre grupo de gestantes, benefícios fornecidos pelo governo, exercícios físicos durante a gravidez, além de conversas não somente sobre como estou me sentindo, mas também como o papai está se sentindo, como estamos nos organizando e preparando para a chegada do bebê.

As minhas visitas aos médicos continuam mais frequentes que o comum para outras gestantes. Mas, normalmente, quem são os profissionais que visitamos durante a gravidez na Finlândia? Sempre que temos ultrassom, primeiro passamos pela parteira, depois o médico faz o ultrassom; daí entre os ultrassons, visitamos a neuvola – que é aquela  enfermeira “cuidadora da saúde” que comentei no último post. No meu caso, por causa da diabetes, visito também o endocrinologista, tive que visitar uma vez oftalmologista e dentista também para conferir se estava tudo bem, além de uns exames de sangue e urina no meio do caminho.

Ah! E já no finzinho deste trimestre chegou pra gente o que vai ser o assunto do meu próximo post: a caixa com o enxoval doado pelo governo. Aguardem!

 


 

EN

Second trimester is already ending and I will tell you about the pre-natal during this period. But first, I want to quickly comment on how good it was to finally have a tummy to show, to feel the kicking and movements and not to be so tired anymore.

Well, when we finished the first trimester we had an ultrasound. But this trimester we had an ultrasound and a visit to the neuvola every month. And in the twentieth week during one of the ultrasounds we get to know that is a boy coming soon! The visits to the neuvola are always very informative, about pregnant women’s group, benefits provided by the government, physical exercises during pregnancy, as well as conversations not only about how I feel, but also how daddy is feeling, how we are organizing and preparing for when baby comes.

My visits to doctors continue to be more frequent than usual for other pregnant women. But normally, who are the professionals we visited during pregnancy in Finland? Well, whenever we have ultrasound, we first visit the midwife, then the doctor does the ultrasound; from there between the ultrasounds, we also go to the neuvola – which is that nurse that I commented in the last post. But in my case, because of the diabetes, I also visit the endocrinologist, I had to visit at least once an ophthalmologist and a dentist to check if everything was okay, besides blood and urine tests.

Ah! And already at the end of this trimester came to us what will be the subject of my next post and I can’t wait to tell you about it: the box donated by the government. Wait for it!

Estou grávida! | Olen raskana!

1715.jpg

PT

Tirei umas semanas, ou mais que isso, de folga do blog porque passei por uma série de mudanças e situações que precisava ter mais tempo. Como já viram no título deste post: estou grávida! E já faz algum tempo, um bom tempo. Mas esperei passar todo o primeiro trimestre, os exames e ultrassons necessários pra poder compartilhar essa alegria também com vocês.

Principalmente, eu queria entender melhor como funciona o pré-natal na Finlândia e os benefícios para as mamães daqui. Então claro que vou postando conforme as informações, conforme for entendendo o funcionamento do sistema. Não vou falar da gestação em si, até porque existem outros blogs que falam sobre isso. Mas vou focar em como tem sido ser uma grávida em terras finlandesas. E preciso deixar claro que, por causa da diabetes e um útero septado, meu pré-natal tem sido um pouco diferente do usual para as mamães finlandesas.

Para começar, hoje vamos falar do primeiro trimestre.

Bom, no meu caso, descobri a gestação ainda bem cedo, com algumas poucas semanas. A primeira coisa que fiz foi avisar o setor responsável pela diabetes e marcar um horário na Neuvola. Algo já diferente pra mim foi que ao invés de me pedir um exame de sangue ou uma ultrassom confirmando a gravidez, tudo foi iniciado baseado na confiabilidade do teste de farmácia.

E aqui começo a explicar algumas coisas diferentes que acontecem por aqui. Por exemplo, durante a gestação, visitamos mais a Neuvola do que um médico obstetra. Explicar do que se trata a Neuvola é difícil, mas eu vou tentar. Neuvola se trata de um setor da saúde pública, responsável, por exemplo, pelo acompanhamento do pré-natal e da criança até a idade escolar. Ali teremos todo tipo de informação, aconselhamento e apoio relacionados à saúde e serviços sociais providos às gestantes, aos pais e às crianças. Este serviço existe por aqui à quase cem anos e é de direito de todos. É um serviço tão bom, que devido a este acompanhamento regular, a Finlândia tem prevenido diversas doenças ou iniciado tratamentos com maior antecedência em relação à outros países. Embora neste caso estejamos falando de pré-natal, a Neuvola também faz a parte de contracepção e planejamento familiar, escolar e cuidados de saúde de estudante e clínicas de saúde do adulto.

Então, a minha primeira consulta na Neuvola foi basicamente uma conversa de duas hora e meia, recebendo todo tipo de informação sobre a gestação, falando sobre o nosso relacionamento e respondendo várias perguntas sobre a nossa saúde e da nossa família, por exemplo. Recebemos bastante material informativo a respeito da gestação, dieta e cuidados importantes.

Alguns dias depois tive a primeira ultrassom. Aqui já entra uma diferença em relação a outras gestantes na Finlândia, porque a primeira ultrassom acontece somente entre 11ª e 13ª semana. Então, no primeiro trimenstre, além de exames de sangue a mais, também tivemos uma ultrassom além do programado. E eu digo programado porque há normalmente um cronograma de exames e consultas durante gestação.

Enfim, primeiro trimestre foi bem tranquilo. Preciso dizer que estou muito aliviada de ter passado esta primeira fase sem enjôos, náuseas, desmaios, nada. Estamos muito, muito contentes com este presente à caminho e também feliz de poder dividir com vocês não só as alegrias, mas também as curiosidades desta fase que estamos passando em terras finlandesas.


EN

I took a few weeks, or more than that, from blogging because I went through a series of changes and situations that needed time. As you have already seen in the title of this post: I’m pregnant! And it has been some time, actually quite a long time. But I was waiting for the first trimester to go, the basic tests and ultrasounds needed to know that everything was fine and I could calmly share this joy with you too.

Primarily, I wanted to understand better how prenatal care works in Finland and the benefits for moms here. So of course I will post as I’m getting information, so that you guys can understand how it works this system here. I will not talk about the pregnancy itself, because there are other blogs where you could get more about it. But I will focus on how it has been like to be a pregnant woman in Finnish lands. I can first made clear that, because of diabetes and a uterus with a septum in it, my care has been a little different than usual for Finnish moms.

To start, let’s talk about the first trimester today.

Well, in my case, I realized I was pregnant very early, with just a few weeks. The first thing I did was to notify the diabetes health care and schedule an appointment at “Neuvola”. Something already different for me was that instead of asking for a blood test or an ultrasound to confirm the pregnancy, everything was started based on the reliability of the pharmacy test.

And here I begin to explain some different things that happen here. For example, during pregnancy, we visited Neuvola more than an obstetrician. Explaining what the Neuvola is all about is so difficult, but I’ll try. So Neuvola is a sector of public health, responsible, for example, for monitoring prenatal care and for children up to school age. There we will have all kinds of information, counseling and support related to health and social services provided to pregnant women, parents and children. This service has been around for almost a hundred years and it is everyone’s right. It is such a good service that due to this regular monitoring, Finland has prevented several diseases or started treatments in advance of other countries. Although in this case we are talking about prenatal, the Neuvola also does the part of contraception and family planning, school and student health care and adult health clinics.

So my first appointment at Neuvola was basically a two-and-a-half hour conversation, getting all sorts of information about pregnancy, talking about our relationship (me and my husband’s) and answering many questions about our health and our family, for example. We have received a lot of informative material about pregnancy, diet and what we have to take care of.

A few days later I had the first ultrasound. Here is a difference compared to other pregnant women in Finland, because the first ultrasound happens only between 11 and 13 weeks. So in the first trimester, in addition to additional blood tests, we also had an ultrasound beyond programmed. And I say programmed because there is usually a schedule of exams and consultations during pregnancy.

Anyway, first trimester was pretty quiet. I must say that I am very relieved to have passed this first phase without nausea, vomiting, fainting, nothing. We are very, very happy with this gift on the way and also happy to be able to share with you not only the joys but also the curiosities of this amazing time that we are going through in Finnish lands.